Moleskine, O caderno.

Tenho conversado com o Gabriel ultimamente, jogamos bafo com blogs e assuntos correlatos. Temos um acordo muito bem definido: ele tenta me ensinar algo e eu teimo em não aprender (de vez em quando eu violo essa regra e aprendo em passos de elefantinho). Numa dessas conversas ele me passou o link de um dos blogs do Alessandro Martins (em parceria com a Ideal Case), prum tópico em que ele afirmava ter quadruplicado, em quarenta e cinco dias, o acesso ao seu blog sobre livros – bom momento pra dizer que eu quadrupliquei o número de acessos aqui também: de 2 (dois) pra 8 (oito)!

Enfim, lá se foi um parágrafo só pra que eu chegasse ao tópico que o Alessandro escreveu sobre desenhos em moleskines.

“Ei, mas que diabos é um moleskine???” você pode muito bem se perguntar. Sem crise, foi minha primeira reação, seguida por um “como assim, eu nunca soube disso???” 

meu moleskine

Meu moleskine de bolso, o HTC e a paliseira: fácil de carregar

 Moleskines são cadernos, simples assim. Ou quase. Esses cadernos ganharam uma aura especial, principalmente na Europa; dizem que ele foi usado por diversos artistas: Van Gogh, Picasso, Hemingway, Neil Gaiman, etc.. É possível que muitas outras pessoas importantes (ou interessantes) tenham usado esse tipo de caderno, mas só encontrei dados reais sobre o moleskine do Gaiman e os moleskines do Van Gogh – cuja referência não encontro, só achei moleskines inspirados na obra do pintor (dentre as personalidades que usaram um, sou obrigado a citar o Dr. Henry Jones e seu filho, vulgarmente conhecido como Indiana).

Os caras podem ter dado usos diversos pra essas pequenas maravilhas mas, em geral, ele sempre foi tido como um bloco de anotações de idéias, uma espécie de diário ou, como o próprio senhor Jones explicou ao filho, após outra homérica discussão (essa, acerca da memória do pai): -“Ora, eu anotei exatamente pra não precisar me lembrar.”

Moleskine do Dr. Jones

Mais que um caderno, um bloco de anotações, ele tem se tornado cada vez mais uma plataforma, o repositório final de alguma forma de arte qualquer.Isso fica evidente quando se dá uma volta pelo blog Moleskine project, já indicado pelo próprio Alessandro Martins. Os moleskines tanto viraram plataforma que hoje é possível comprar moleskines próprios para aquarela (achei um link interessante sobre desenhos e rascunhos). Não é o único tipo existente, o catálogo é grande e dividido em categorias:

  • (a) Caderninhos de bolso, que podem ser carregados com a maior facilidade do mundo. A variedade destes caderninhos é impressionante: tem caderno pra jornalista, pra desenhista montando storyboard, com pauta pra música, entre outros mais simples;
  • (b) Agendas, de diversos tipos;
  • (c) Cadernos, que têm uma capa mais dura e são vendidos sem pauta, com pauta ou quadriculados;
  • (d) Série “museus”, hoje limitada pela série de moleskines criados em homenagem à Van Gogh;
  • (e) Série de cadernos da cidade, que cresce continuamente. Existem versões deste caderno pra algumas poucas cidades, em geral da Europa ou dos Estados Unidos. Estes cadernos têm um mapa geral da cidade, que serve de guia principal pros outros mapas, como por exemplo o mapa do sistema de metrô e as estações existentes ou os mapas de zonas, em diferentes escalas e que podem chegar a 36 (trinta e seis) dependendo da cidade. Além dos mapas, estes cadernos têm páginas em branco pra anotações gerais, páginas em arquivo pra anotações importantíssimas, páginas removíveis e, pasmem!, páginas translúcidas removíveis, pra serem usadas sobre o mapa e, assim, servirem de migalhas de João e Maria pra você. Fugindo um pouco dos cadernos da cidade, encontrei essa página sensacional, um quase blog, um diário de viagem de alguém (não procurei saber quem) que viajou às Bahamas e teve como uma de suas grandes diversões anotar tudo que deu na telha. O resultado é este, delicioso (Preciso deixar registrado que existe um blog sobre cidades e as experiências geradas por cada uma, o moleskinecity.com, muito interessante com boas dicas pra quem quer viajar mundo afora).

Diferentes tipos de moleskine

Ou seja: tem moleskine pra tudo que é gosto. O problema em comprar um moleskine aqui na terra brasilis é o preço (tudo bem, também não é nada fácil encontrar o danado). Eu, particularmente, tenho problemas em fazer compras na internet porque eu costumo me ligar muito mais fortemente a algum objeto qualquer quando o pego. Se isso não acontece, o ato de comprar fica frio e aí eu consigo me segurar e racionalizar: é melhor comprar no Mercado Livre, pagando de 4 (quatro) a 10 (dez) vezes o valor do produto na Amazon? Um dos lugares em que encontrei moleskines – e me neguei a comprar, achei caríssimo, felizmente não estive lá, não peguei nenhum – foi na Livraria da Vila.

Uma alternativa à compra, citada pelo próprio Alessandro, é fazer seu próprio caderno-tipo Moleskine, com receita de Michael Shannon. Eu não tenho habilidade pra fazer  esse tipo de coisa e nem tenho como garantir que é mais interessante montar o seu que comprar o lance real (mas é uma excelente atividade pra uma aula de educação artística, não?).

Finalizando este post, pra quem não entrou no link do blog do Gaiman, cito explicitamente o que ele fala sobre seu moleskine: -“O caderno Moleskine (eu comprei em Veneza) já é uma de meus pertences favoritos (apesar de venderem-no agora como o “caderno de anotações de Bruce Chatwin!” o que parece, a meu ver, de um enorme mau gosto, apesar de eu ficar numa posição esquisita pra lhes dizer porque penso assim.) Tem o tamanho correto. Tem o peso certo, um elástico pra mantê-lo fechado, um bolso pra guardar listas, e assim por diante.”

Em tempo e pra constar: tem quem compare os moleskine à um tal de Rhodia, que eu ainda não procurei por. Se alguém escrever sobre, manda o link.

Ah, perdão! Uma traquinagem final, traduzida do moleskinerie; você saberia qual a forma correta de desembrulhar seu moleskine?

1- Desembrulhe da embalagem plástica;

2- Tire a aba de papel da capa;

3- Enfie cartões postais e selos no bolso apropriado;

4- Tire o panfleto que conta a história dos cadernos moleskine e reflita sobre o quão sortudo você é por usar tal símbolo;

5- Abra o caderno em alguma página próxima ao centro;

6- Enfie seu nariz o máximo possível entre as páginas, chegando o máximo possível do dorso do livro (pelo lado oposto!);

7- Inale profundamente;

8- Repita o item 7- até estar totalmente tomado por uma sensação de bem estar.

(o ritual é muito parecido com aquele que faço ao ter em mãos um novo livro)

Por fim (mesmo), fica aí um típico moleskine, utilizado por um artista quase qualquer. Outros exemplares são encontrados no youtube e informações adicionais podem ser encontradas no site do projeto detour.

Comments
24 Responses to “Moleskine, O caderno.”
  1. como eu disse…
    preciso de um desses, pra poder jogar no lixo minhas “cadernetas”.
    Meus rabiscos andam precisando de uma coisa melhor!
    ;D

    beijo!

  2. Gabriel disse:

    Eu também quero um, como você sabe.

    Vou ver se dou uma passada nas papelarias “de artistas” ali pelo centro da cidade amanhã e acho um. Se não, vou ter de apelar pra Amazon mesmo. Mas isso só pensando em gastar o 13°🙂

    Bem que você poderia pedir para o Mr. Horn achar um desses lá em (Chico)Hamburgo, não?

  3. Gilson Doi Junior disse:

    Muito bom seu blog acompanho o blog do Alessandro faz algm tempo então ja conheço a idéia dos moleskines são ótimas idéias mesmo

    vi que você ta começando agora queria propor parceria com meu blog a url é http://doijunior.wordpress.com

  4. Cris* disse:

    i love moleskines!!

    achei na papel craft (sp, em shoppings), são lindos, pretos com o elástico colorido. os preços são:
    pequeno: 38,00
    médio: 66,00
    grande: 76,00

    vou comprar um CERTEZA!

    bjs, pessoal!

  5. McFly disse:

    Na Livraria Cultura da Paulista tem moleskines, os originais – agora estão mais pra um tipo de caderno que pra uma marca, aleluia! -, dos mais diversos tipos: guias de cidade, com pauta, sem pauta. Não fiz a lição de casa direito, mas dou a dica mesmo assim: vi cadernos de bolso com capa mole por R$32!

  6. McFly disse:

    Já dissera que poderiam encontrar moleskines na Livraria Cultura. Pois cá está o link pra quem não tem uma por perto:

    http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/catalogo/busca.asp?tipo_pesq=titulo&palavra=moleskine&topo=livro&sid=170107110101013425001333281&k5=574D5E1&uid=&lastreg=&parceiro=110424

    Só um aviso: eles não estão nada baratos…

  7. McFly disse:

    Um apetrecho pra usar com seu moleskine: MSK! Permite criar páginas impressas pra colocar dentro dele, etc. etc.

    http://cacarecos.tumblr.com/post/96023801/moleskine-msk

  8. erico disse:

    Na Portfólio que fica na Vila Madalena também tem Moleskines originais e eles fazem os seus próprios cadernos e albuns. O blog com imagens é http://atelieportfolio.blogspot.com
    Não sei os preços…

  9. Maycoln Farias disse:

    Boa tarde, excelente post!

    Quem quiser comprar Moleskines no Brasil, então visite:

    http://www.fnac.com.br, e escreva “moleskine” na busca do site. Há vários modelos lá.

    No exterior acesse:

    http://www.betterworldbooks.com

    Foi o lugar mais em conta que achei; acredito que seja o endereço on-line mais barato para comprar um Moleskine. O frete é de apenas $ 3.97 dos EUA para o mundo. O preço começa na casa dos $ 10. Recomendo.

    Fica a dica para os ilustres visitantes deste blog.

  10. Moleskine.
    A Gráfica Águia trouxe a idéia da Itália.
    Produz moleskines personalizados para empresas usarem como material promocional/brinde.
    Já fizemos para o Fasano em parceria com a Nokia, Avec Nuance em parceria com a American Express entre outros.
    contato janainademello@graficaaguia.com.br
    http://www.graficaaguia.com.br

    sds
    Janaina de Mello Mattos

  11. McFly disse:

    A Cris fez um resumão do meu post, e quase fugiu da cópia. Como provavelmente terei comentário vetado lá, deixo o link aqui mesmo. E quem quiser ver a versão dela, é só acessar:
    http://crisoliveira.wordpress.com/2009/09/04/caderninhos-moleskines/

  12. Luís disse:

    Comprei o meu esses dias e estou esperando chegar. Acho que vale muito a pena!

    Adorei sua postagem.
    Assim que chegar vou abrir como a postagem disse.

    Belo artigo (:

    P.s.: o bloquinho de notas na imagem do cabeçalho é i-d-ê-n-t-i-c-o ao meu!

  13. Pepita disse:

    Na Papel Total Papelaria na Maria Antonia tem uns cadernos tipo moleskine liiindos!!!
    Vale a pena conferir,preço camarada…

    Vale a pena conferir…

  14. Marcia disse:

    Eu comprei um errado no freeshop…Queria um liso, mas na correria acabei pegando um com PAUTA DE MÚSICA. EU troco por um liso de capa dura ou vendo por 45 reais.

    Meu contato: marcia_ferr@hotmail.com ou se quiser ligar- 11-63098775

  15. Clayton André disse:

    Moleskine é “O caderno”, ok. E para os aficcionados por artigos de papelaria já é sonho de consumo, principalmente se acompanhado por uma boa caneta-tinteiro em trabalho de campo, ou para tomar notas com uma caligrafia clássica e bem alinhada.
    Mas esse preço, sinceramente, viu… não tem razão para um moleskine custar o que cobram nas papelarias e sítios eletrônicos, vamos ser francos.

    • @caducotavio disse:

      Clayton,

      motivo, acho que tem sim. Quero dizer, tem dois motivos pra que eles cheguem a esse preço no nosso mercado: 1) são objetos de desejo e, como tal, acabam custando mais carp e 2) impostos. É, a conta é mais ou menos1 pra 3; pense num videogame: se o preço dele lá fora é de US$250,00, aqui ele sai por mais ou menos R$1000,00.

Trackbacks
Check out what others are saying...
  1. […] Faixa de preço: original a partir de U$ 14,00. cópia (muito bem feita) no Atelier Machado a partir de R$ 40,00. Mais informações: https://caducando.wordpress.com/2007/11/02/9/ […]

  2. […] Moleskine, o caderno, blog caducando […]

  3. […] Caducando , Polemikos , Moleco e ViVá Porta […]



Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • RSS Ouvindo?

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
  • RSS Curiosidades

    • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.
%d blogueiros gostam disto: